Buscar

Rafael Suzuki destaca regularidade e evolução em sua oitava temporada na Stock Car


Dono do carro #8 conclui a temporada com 1 vitória, 1 pole position e mais um pódio, e ficou em 16º na classificação geral, com 185 pontos. Suzuki foi o piloto que completou mais voltas no ano, tendo terminado 23 provas, de um total de 24, marcando pontos em 16 delas


Rafael Suzuki concluiu no domingo (12) no autódromo José Carlos Pace, em Interlagos (SP), sua oitava temporada na Stock Car. Ele foi o piloto que mais provas completou no ano, das de 24 provas realizadas ao longo de 2021, concluiu 23, tendo pontuado em 16 corridas. Nas provas deste domingo, Suzuki completou em 21º a corrida 1, e por conta de um incidente de disputas, não teve condições de terminar a última bateria do ano. As disputas do dia marcaram o encerramento da 42ª temporada da principal categoria do automobilismo nacional e definiu um novo campeão: o paranaense Gabriel Casagrande. Daniel Serra ficou com o vice-campeonato.


Foi um ano desafiador, sem a presença de fãs (o público só retornou nesta última etapa) e ainda exigindo muitos cuidados por conta da pandemia de Covid-19, mas foi uma temporada de evolução e aprendizados. Também foi um ano em que ele pode comemorar sua primeira pole e a segunda vitória na categoria, conquistadas durante a sétima etapa no anel externo de Curitiba. O dono do carro #8 ainda festejou um pódio com o segundo lugar na corrida 2 da etapa de Santa Cruz do Sul (RS).


Com certeza foi uma temporada de aprendizados. E de evolução também. Conquistei minha primeira pole na categoria e venci pela segunda vez. Além disso, fui ao pódio na penúltima etapa do ano, com um segundo lugar conquistado na base da estratégia. Completei todas as provas do calendário, exceto a última corrida de hoje. Terminar 23 corridas, com o carro inteiro, marcando pontos em 16 delas, mostra minha regularidade na temporada. Fizemos um ano positivo, tive resultados importantes e evoluímos”, analisou Rafael Suzuki. “Agora é concentrar as atenções para 2022”, completou o piloto que concluiu a temporada em 16º lugar e 185 pontos.


As corridas da última etapa: estratégia na corrida 1, mirando o pódio na segunda


Na primeira corrida, Rafael Suzuki saiu do 22º posto. Fez boa largada e em três voltas já estava em 17º. No quarto giro teve a intervenção do safety car. Na relargada, Rafael novamente saiu bem, tinha um ritmo forte. Na parada obrigatória, trocou somente o pneu traseiro direito. Voltou em 15º. Poucas voltas depois conquistou mais três posições. Mesmo com bom desempenho, estando ali perto do Top-10, o piloto da Full Time queria o pódio para encerrar o ano bem. Então ele e a equipe apostaram tudo na estratégia para a corrida 2. Na última volta, Suzuki foi para o box, trocou os quatro pneus e completou o tanque. Rafael concluiu em 21º. A vitória ficou com Thiago Camilo. Daniel Serra completou em segundo, e Gabriel Casagrande, em terceiro. Deixando a definição do título para a segunda corrida.


Susto da corrida 2


Na segunda e derradeira corrida, saindo lá atrás, Suzuki novamente teve boa largada. Mas em um incidente de disputas, ainda na primeira volta, o carro #8 levou um toque de um oponente e rodou, saindo da pista. Essa batida danificou o escapamento de seu carro, ocasionando uma chama interna que em pouco tempo fez o Toyota Corolla #8 pegar fogo com muita fumaça. Rafael Suzuki conseguiu agir rápido para sair do carro antes das chamas aumentarem. Apesar do susto, o piloto saiu ileso. A corrida 2 foi vencida por Ricardo Maurício. Ricardo Zonta ficou em segundo e Gabriel Casagrande completou o pódio com o terceiro lugar, resultado que lhe garantiu o título da temporada 2021.


Resultados de Rafael Suzuki na temporada 2021:


1ª etapa: Goiânia Corrida 1: 12º / Corrida 2: 16º

2ª etapa: Interlagos Corrida 1: 12º / Corrida 2: 15º

3ª etapa: Velocittá Corrida 1: 6º / Corrida 2: 11º

4ª etapa: Velocittá Corrida 1: 15º / Corrida 2: 21º

5ª etapa: Cascavel Corrida 1: 8º / Corrida 2: 27º

6ª etapa: Curitiba Corrida 1: 9º / Corrida 2: 24º

7ª etapa: Curitiba - anel externo Conquistou a Pole Position Corrida 1: 1º lugar - vitória / Corrida 2: 5º

8ª etapa: Goiânia Corrida 1: 16º / Corrida 2: 14º

9ª etapa: Goiânia – anel externo Corrida 1: 22º / Corrida 2: 10º

10ª etapa: Velocittá Corrida 1: 23º / Corrida 2: 14º

11ª etapa: Santa Cruz do Sul Corrida 1: 23º / Corrida 2: 2º (pódio)

12ª etapa: Interlagos Corrida 1: 21º / Corrida 2: Não completou


Classificação final do campeonato - após 12 etapas:

1º Gabriel Casagrande, 378 2º Daniel Serra, 354 3º Thiago Camilo, 310 4º Ricardo Zonta, 307 5º Ricardo Maurício, 304 6º Rubens Barrichello, 282 7º Allam Khodair, 270 8º Átila Abreu, 255 9º Cesar Ramos, 245 10º Diego Nunes, 226 11º Marcos Gomes, 216 12º Denis Navarro, 206 13º Bruno Baptista, 203 14º Guilherme Salas, 192 15º Julio Campos, 190 16º Rafael Suzuki, 185 17º Cacá Bueno, 167 18º Gaetano Di Mauro, 161 20º Galid Osman, 132 21º Matías Rossi, 120 22º Lucas Foresti, 113 23º Pedro Cardoso, 92 24º Felipe Lapenna, 89 25º Felipe Massa, 88 25º Guga Lima, 75 26º Beto Monteiro, 46 27º Christian Hahn, 45 28º Sérgio Jimenez, 36 29º Gustavo Frigotto, 27 30º Nelson Piquet Jr., 24 31º Tony Kanaan, 24 32º Tuca Antoniazzi, 24