logo_rafaelsuzuki_v10.png
  • Instagram
  • Facebook
  • YouTUBE
  • Twitter

© 2019 Rafael Suzuki - Loja Rafael Suzuki - Eversports Assessoria Esportiva e Comercio LTDA - CNPJ 15.546.170/0001-43 - São Paulo - Brasil

Buscar

Com boa performance, Rafael Suzuki salva pontos no Velopark

Piloto do carro #8 foi o 2º mais rápido na sexta-feira, mas foi prejudicado pela chuva no classificatório. Mesmo assim, conseguiu se recuperar nas corridas e pontuar na pista gaúcha


Um domingo de muito sol foi o cenário das corridas da 3ª etapa da Stock Car, no Velopark, em Nova Santa Rita (RS). As temperaturas acima dos 30ºC trouxeram um desafio extra aos pilotos, na pista em que são completadas mais voltas - 82, no total das duas provas - por ser um traçado curto. Para Rafael Suzuki, depois de não conseguir uma boa classificação, por estar no grupo que enfrentou chuva forte no sábado, não passar o final de semana em branco já foi motivo para celebrar. Largando em 21º, o piloto da equipe Hot Car Bardahl completou a corrida 1 em 16º e, na segunda prova, com uma forte performance, beirou mais um top-10 no ano, finalizando em 11º e marcando dois pontos.


Num traçado curto e muito difícil de ultrapassar, Suzuki já esperava dificuldades na etapa. O piloto, que na sexta-feira foi o 2º mais rápido nos treinos livres, viu suas chances de poder brigar entre os líderes ir - literalmente - por água abaixo, após a forte chuva que caiu durante a sessão do grupo 2 no classificatório e não permitiu que nenhum piloto do grupo passasse para o Q2.


“Na primeira corrida, eu larguei bem, mas levei uma batida muito forte no hairpin, na última curva, e meu extrator quebrou. Isso prejudicou toda a aerodinâmica do carro e não tínhamos ritmo. Tive de fazer toda a corrida 1 sem essa peça e foi um sufoco para ficar na pista, pois o carro era muito desequilibrado em virtude disso e acabamos não marcando pontos”, comentou o piloto, que havia ficado entre os 10 melhores nas duas etapas do ano até aqui.


“Na corrida 2, o Amadeu (Rodrigues, chefe da equipe) remediou o problema muito bem. Ele viu que o carro estava danificado e colocou mais aerodinâmica, mais asa, fez o carro ficar mais no chão e o carro era outro. No começo da prova, com os mesmos pneus que acabaram a primeira corrida, o carro rendia muito melhor. Consegui subir de 17º para 10º”, explicou o piloto do Stock #8.


“No pit, acabei perdendo posições por causa da estratégia. Tivemos de colocar mais combustível, mas fomos pra cima e somar alguns pontos é muito bom para não passar o fim de semana em branco”, continuou Suzuki.

Cacá Bueno foi o vencedor da bateria inicial e Daniel Serra venceu a segunda prova e manteve a liderança, com 80 pontos, 15 a mais que Bueno, o vice-líder.


“Sem dúvida, o azar que a gente deu na classificação comprometeu, pois é uma pista muito difícil de largar bem, ultrapassar muitos carros e, largar na confusão, é sempre mais complicado. Mas tudo bem, não passamos em branco o fim de semana. Adquirimos muitas informações, vamos estudar tudo junto com a equipe, porque Londrina já está aí”, completou Suzuki, lembrando que dentro de 15 dias a Stock Car realizará sua quarta etapa na pista paranaense, entre os dias 04 e 06 de maio.


Com os resultados do Velopark, e também com a reversão da penalização de um adversário, Rafael Suzuki ocupa o 13º lugar na classificação geral entre os 35 pilotos que já competiram na temporada.


Resultado – Corrida 2: 1. 29 Daniel Serra (Eurofarma RC) – 41 voltas em 41min10s436 2. 80 Marcos Gomes (Cimed Racing Team) – a 1s484 3. 4 Julio Campos (Prati-Donaduzzi Racing) – a 8s460 4. 51 Átila Abreu (Shell V-Power) – a 8s688 5. 88 Felipe Fraga (Cimed Racing) – a 9s149 6. 21 Thiago Camilo (Ipiranga Racing) – a 9s336 7. 10 Ricardo Zonta (Shell V-Power) – a 9s688 8. 0 Cacá Bueno (Cimed Racing) – a 12s220 9. 111 Rubens Barrichello (Full Time Sports) – a 12s870 10. 18 Allam Khodair (Blau Motorsport) – a 15s699 11. 8 Rafael Suzuki (Bardahl Hot Car) – a 23s204 12. 83 Gabriel Casagrande (Vogel Motorsport) – a 24s139 13. 44 Bruno Baptista (Hero Motorsport) – a 25s159 14. 70 Diego Nunes (Full Time Bassani) – a 26s426 15. 28 Galid Osman (Cavaleiro Sports) – a 30s927 16. 3 Bia Figueiredo (Ipiranga Racing) – a 32s033 17. 12 Lucas Foresti (Cimed Racing Team) – a 32s469 18. 9 Guga Lima (Squadra G Force) – a 34s060 19. 30 Cesar Ramos (Blau Motorsport) – a 11 voltas Não completaram (75% da prova): 20. 46 Vitor Genz (Eisenbahn Racing Team) – a 12 voltas 21. 117 Guilherme Salas (Bardahl Hot Car) – a 16 voltas 22. 55 Sérgio Jimenez (Squadra G Force) – a 19 voltas 23. 77 Valdeno Brito (Eisenbahn Racing Team) – a 20 voltas 24. 1 Antonio Pizzonia (Prati-Donaduzzi Racing) – a 22 voltas 25. 65 Max Wilson (Eurofarma RC) – a 22 voltas 26. 5 Denis Navarro (Cavaleiro Sports) – a 23 voltas 27. 33 Nelson Piquet Jr (Full Time Bassani) – a 29 voltas 28. 110 Felipe Lapenna (Cavaleiro Contuflex) – a 30 voltas 29. 90 Ricardo Maurício (Full Time Sports) – a 36 voltas 30. 25 Tuka Rocha (Vogel Motorsport) – a 10 voltas (excluído)** 31. 11 Lucas di Grassi (Hero Motorsport) – não largou **Excluído por atitude anti-desportiva

Resultado – Corrida 1: 1. 0 Cacá Bueno (Cimed Racing) – 41 voltas em 40min17s304 2. 10 Ricardo Zonta (Shell V-Power) – a 0s668 3. 4 Julio Campos (Prati-Donaduzzi Racing) – a 8s716 4. 88 Felipe Fraga (Cimed Racing) – a 8s974 5. 90 Ricardo Maurício (Full Time Sports) – a 12s308 6. 12 Lucas Foresti (Cimed Racing Team) – a 13s261 7. 83 Gabriel Casagrande (Vogel Motorsport) – 15s399 8. 29 Daniel Serra (Eurofarma RC) – a 16s676 9. 80 Marcos Gomes (Cimed Racing Team) – a 17s973 10. 18 Allam Khodair (Blau Motorsport) – a 17s984 11. 21 Thiago Camilo (Ipiranga Racing) – a 19s089 12. 5 Denis Navarro (Cavaleiro Sports) – a 20s278 13. 46 Vitor Genz (Eisenbahn Racing Team) – a 24s750 14. 70 Diego Nunes (Full Time Bassani) – a 25s775 15. 25 Tuka Rocha (Vogel Motorsport) – a 31s788 16. 8 Rafael Suzuki (Bardahl Hot Car) – a 32s639 17. 44 Bruno Baptista (Hero Motorsport) – a 33s128 18. 55 Sérgio Jimenez (Squadra G Force) – a 1min11s276* 19. 33 Nelson Piquet Jr (Full Time Bassani) – a 2 voltas 20. 28 Galid Osman (Cavaleiro Sports) – a 3 voltas 21. 77 Valdeno Brito (Eisenbahn Racing Team) – a 5 voltas 22. 3 Bia Figueiredo (Ipiranga Racing) – a 6 voltas 23. 9 Guga Lima (Squadra G Force) – a 10 voltas 24. 1 Antonio Pizzonia (Prati-Donaduzzi Racing) – a 10 voltas Não completaram (75% da prova): 25. 110 Felipe Lapenna (Cavaleiro Confuflex) – a 12 voltas 26. 117 Guilherme Salas (Bardahl Hot Car) – a 14 voltas 27. 30 Cesar Ramos (Blau Motorsport) – a 24 voltas 28. 111 Rubens Barrichello (Full Time Sports) – a 24 voltas 29. 65 Max Wilson (Eurofarma RC) – a 26 voltas 30. 51 Átila Abreu (Shell V-Power) – a 30 voltas 31. 11 Lucas di Grassi (Hero Motorsport) – a 31 voltas *Penalizado em 50 segundos no tempo de prova por atitude anti-desportiva


Classificação do Campeonato após a 3ª etapa: 1. Daniel Serra – 80 pontos 2. Cacá Bueno – 65 3. Felipe Fraga – 59 4. Julio Campos – 55 5. Ricardo Zonta – 47 6. Gabriel Casagrande – 45 7. Marcos Gomes – 41 8. Rubens Barrichello – 36 9. Lucas di Grassi – 35 10. Max Wilson – 30 11. Ricardo Maurício – 29 12. Cesar Ramos – 25 13. Rafael Suzuki – 21 14. Lucas Foresti – 17 15. Allam Khodair – 17 16. Thiago Camilo – 17 17. Átila Abreu – 13 18. Antonio Pizzonia – 10 19. Denis Navarro – 9 20. Vitor Genz – 9 21. Bruno Baptista – 4 22. Guilherme Salas – 3 23. Tuka Rocha – 3 24. Diego Nunes – 2 25. Nelson Piquet Jr – 1 26. Felipe Lapenna – 1 27. Guga Limia – 0 28. Valdeno Brito – 0 29. Sérgio Jimenez – 0 30. Galid Osman – 0 31. Bia Figueiredo - 0 32. Vitor Meira - 0 33. Tarso Marques - 0 34. Fabio Carbone - 0 35. Fernando Croce - 0


#rafaelsuzuki

logo_rafaelsuzuki_v5.png